O cheiro da gestação

Sem dúvida, um dos períodos mais lindos da vida de uma mulher!

Quem é mãe sabe na pele o que eu estou dizendo!

Você já se imaginou viver algo onde você não precisa FAZER NADA? Sim! A gestação é esse período incrível, onde seu corpo vive a magia de desenvolver e criar cada centímetro e detalhe do seu filho. Você não precisa lembrá-lo, não precisa colocar o despertador pra tocar, não precisa planejar, não precisa dizer “agora é a hora”, não precisa motivá-lo.

Você simplesmente vive, e seu corpo toma as rédeas de tudo, e cria um novo universo, muda sua vida em 180 graus.

Além disso, você recebe uma companhia – no meu caso, duas” –  “full time”, completude e sensação de preenchimento são as palavras mais descritas neste período pelas gestantes. Você pode achar engraçado, mas como tenho o hábito de meditar, eu sentia e até ouvia (em pensamento) meus pequenos, sabia seus desejos, preferencias e até ideias.

Fui abençoada com uma gestação de gêmeos. Qual tipo? Dizigótica (dois óvulos), dicoriônica (duas placentas) e diamniótica (duas bolsas). Na época, tinha 36 anos, foi uma gestação incrível, cheia de histórias para contar… vou contar algumas neste pequeno texto, chamado “O cheiro da gestação”.

Nomeei assim porque, para mim, este período foi um presente perfumado. Nosso sistema olfativo é amplificado e até água pode ganhar aroma. Nós, mulheres, temos o poder de usufruir desta super sensibilidade e de um olfato aguçado durante a gestacão. Ainda não se tem total comprovação de qual a causa, mas sem dúvida é um efeito real e comprovado por 99,9% das gestantes.

O nariz ganha um amplificador e você sabe até o sabonete do seu vizinho, reconhece o desodorante do homem que anda do outro lado da rua, a mais de 4 metros de você. São tantos estímulos, que eu, uma pessoa olfativa, chegava a rezava para não encontrar alguém a 4 metros com um perfume adocicado, meu enjoo era instantâneo.

Enjoo é como quase toda gestante fala.  Para mim, não era uma náusea de barco, era um mau estar na região do estômago, com um sabor metálico na boca, uma vontade de ficar paradinha, para recompor as energias. E esse desconforto era disparado pelos aromas que me desagradavam.

Graças ao nariz e ao estômago, fui explorando e descobrindo novos prazeres e incríveis sensações nesse período. Descobri que o aroma da casca da tangerina, aliada a seu sabor cítrico, era um bálsamo; que Limonada Suíça bem gelada era como ganhar uma viagem a Europa; que o frescor discreto da Maçã trazia imenso equilíbrio e que a doçura da Pêra me dava muita energia.

Cheiro e sabor, juntos, compunham uma harmonia no meu dia-a-dia.

Sincronicidade ou não, meus filhos são apaixonados por limão; Arthur ama maçã; Sophie, pêra; e nós, juntos, conseguimos comer um quilo de tangerina (aqui na Suíça, “clementine”).

Eu adorava sentir o meu cheiro, o da minha cama, do meu marido, o cheiro da minha gaveta do escritório, do meu lar, da comidinha simples e das frutas prediletas dos meus pequenos.

Fatores que justificam essa intensificação olfativa:

– O fluxo sanguíneo aumenta em até 50% durante a gravidez, portanto, qualquer estímulo ganha velocidade.

– O instinto de proteção está totalmente em funcionamento, o olfato nos protege de ingerir ou estar em um local tóxico.

– Os hormônios da gravidez, o aumento das taxas de progesterona, aguçam as percepções de cheiro e sabor.

Vou responder duas perguntas bastante recorrentes sobre Aromas & Gestação.

  1. Aromaterapia é indicada na gestação e quais óleos essenciais uma gestante não deve utilizar?

Considero Aromaterapia uma prática terapêutica que utiliza óleos essenciais que atuam no seu organismo atuando conjuntamente em seu corpo físico, suas emoções, energia, pensamentos e memórias. Em seguida, anexo uma tabela simples sobre cuidados com alguns óleos essenciais para este período, mas primeiro quero deixar claro que seu corpo, seu bebê e sua alma, não precisam de nada e de nenhum aroma para estar bem, em equilíbrio e paz.

Nos meus 9 anos de docente em Aromaterapia na Universidade, sempre questionava meus alunos: se há tantos momentos da vida para fazer terapia, será que precisamos mexer nas caixas, sombras e Gestalt justamente durante a gestação? *

Acredito que valia contar minha experiência… Antes de saber que estava grávida, decidi aplicar para um curso de desenvolvimento de liderança e transformação. Apliquei e passei. Em seguida, descobri a gravidez e a minha família solicitou que eu não participasse. Pra quê fazer um curso tão intenso grávida? 6 meses de curso, 2 viagens internacionais, 2 viagens nacionais, treinamento semanal, coaching semanal, aulas semanais, metas e trabalhos. E a minha resposta foi sentir meu desejo e disse “meu filho quer fazer comigo, vai ser legal fazer algo juntos”.

3 semanas depois, descobri que eram gêmeos, aí sim, meu pai chegou a me ligar e pedir para eu “sossegar o facho”! KKKK quem conhece meu pai, sabe que ele sossega muito menos que eu. E eu disse “meus pequenos querem viajar, estudar e ir além, e nos vamos participar vovô!”.

Foi um programa incrível, a ideia não era e não foi olhar para o passado e minhas experiências, e sim olhar para o futuro que eu desejava criar, como empoderar aspessoas a minha volta, como escutá-las, como apoiar aquilo que realmente é importante para o outro.

Foi fantástico, um detalhe importante: eu e meu marido fizemos este programa juntos. Criamos a gravidez, novos amigos, uma vida com filhos saudáveis e amorosos, uma relação plena, enfim, só gratidão, claro meu enorme agradecimento aos lideres desses programa – Mauricio Davila, Priscila Takara, Thiago Luz, Alessandra Ellwanger, Elena – minha Coach querida.

Pergunta se eu utilizei aromas?

Nós estávamos tão bem e focados no que estávamos criando, que utilizei pouquíssimas vezes práticas naturais e óleos essenciais para me apoiar em algum desconforto da gestação. Algumas vezes abria a minha caixinha e um aroma me escolhia, meu olfato e minha intuição aprovavam, daí utilizava.

O que eu descobri nesse período é que a mulher acessa seu super poder feminino (que podemos chamar de intuição), e é tão aflorado, que você saberá tudo que te faz bem!

Simplesmente se ouça!! Ouça seu bebê!!

E se você sentir o chamado da terapia e um convite para organizar as caixas internas, por que não? E se um curso intenso aparecer e você sentir vontade, por que não? E se os óleos essenciais brotarem em sua vida, por que não senti-los?

Se você seguir este caminho da Aromateripia, estou aqui apenas para compartilhar o que descobri em 22 anos de estudo, com cuidado na gestação e óleos essenciais.

Óleos Essenciais & Gravidez

Três primeiros meses:

Você poderá utilizar Lavanda (Lavandula angustifólia) e camomilas (Matricaria recutita e Anthemis nobilis) diluído no máximo a 0,5% (por favor, para uso, esteja acompanhada por um profissional capacitado em Aromaterapia).

Meses seguintes:

Dosagem dos demais O.E. a 0,5% (avalie com seu profissional de saúde capacitado em Aromaterapia).

Proibidos durante toda gestação:

Sálvia (Salvia officinalis), Anis (Pimpinela anisum), Hissopo (Hyssopus officinalis), Alecrim (Rosmarinus officinalis), Gengibre (Zingiber officinale), Manjericão (Ocimum basilicum), Cedro (Cedrus atlântica), Cipreste (Cupressus sempervirens), Cravo (Eugenia caryophylata), Sálvia esclaréia (Sálvia sclarea),Tomilho (Thymus vulgaris), Verbena (Verbena officinalis), Zimbro (Juniperus communis), Arnica (Arnica montana), Bétula (Betula alba), Funcho (Foeniculum vulgare), Menta (Mentha peperita), Jasmim (Jasminum officinale), Manjerona (Origanum marjorana), Mirra (Commiphora myrrha), Orégano (Origanum vulgare), Poejo (Mentha pulegium/ Hedeoma pulegioides), Segurella (Satureia montana/ hortensis).

Proibidos Lactantes:

Eucalipto (Eucalyptus globulus), Gengibre (Zingiber officinale), Menta (Mentha peperita) e Sálvia Esclaréia (Sálvia sclarea) (sempre, avalie com seu profissional de saúde capacitado em Aromaterapia).

Com 39 semanas e 6 dias, dois bebês grandes e saudáveis chegaram ao mundo em um sábado ensolarado. Até hoje nem eu, nem a obstetra sabemos como coube aquilo tudo dentro de mim. Sophie com 3,4Kg e Arthur com 3,6kg. Um parto humanizado no Rio de janeiro, que se finalizou numa doce cesaria, aos cuidados da equipe da querida Dra. Fernanda Macedo, a parteira Heloisa Lessa e o pediatra Ricardo Rocha.

Com aromas, massagem, banho de banheira…. assunto para um próximo texto.

.

Referências Bibliográficas

CORAZZA, S. Aromacologia: uma ciência de muitos cheiros. São Paulo: Ed. Senac, 2002. 412p.

DAVIS, P. Aromaterapia. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1997. 507p.

GROSSMAN, L. Óleos essenciais na culinária, cosmética e saúde. São Paulo: Optionline, 2005.301p.

PRICE, S. Aromatherapy: for health professionals. Philadelphia: Elservier, 2007. Third edition 576p

SILVA, A. Tudo sobre Aromaterapia: como usa-la para melhorar sua saúde física, emocional e financeira. São Paulo: Ed. Roka, 1998. 574 p. ________. Aromaterapia em dermatologia e estética. São Paulo: Ed. Roka, 2004. 432 p

Uma marca de produtos e cosméticos exclusivos com elegância e inovação no seu DNA.

Entre em contato

• +55 48 9 9935-8109 – Brasil

• + 41 79 397 2463 – Suiça

• office@miie.com.br

Nos siga no Instagram

@miie_unique_essence

Todos os direitos reservados a Miie Unique Essence – Site desenvolvido com por Agência Agora Publicidade

Abrir conversa
Oi, posso ajudar você?
Olá! Podemos ajudar você?